A nível mundial, todos os anos morrem cerca de 350 000 mulheres devido a complicações durante a gravidez e parto e estima-se que cerca de 3,5 a 4 milhões de bebés morrem nas primeiras quatro semanas de vida.

O projeto MOMI(oportunidades perdidas em saúde materno-infantil: redução da mortalidade e morbidade materna e infantil no primeiro ano após o parto através da combinação de intervenções com base institucional e comunitária) aborda questões críticas para a saúde materna e infantil, concentrando-se na melhoria dos cuidados de saúde pós-parto para as mães e crianças.

O MOMI ajudará a definir o pacote ideal de intervenções pós-parto necessário para melhorar a saúde materno-infantil contribuindo para os Objetivos de Desenvolvimento do Milénio 4 e 5.

O pacote de intervenções desenvolvido através do MOMI terá como alvo a saúde materna e infantil no período pós-parto imediato e durante o primeiro ano após o nascimento.
Este pacote será implementado através de uma abordagem combinada de intervenções baseadas nos serviços de saúde e na comunidade de forma a promover serviços integrados e fortalecer os sistemas de saúde. Será implementado em quatro países africanos (Burquina Faso, Quénia, Maláui e Moçambique) através de um consórcio de cinco parceiros africanos e três europeus.

O MOMI iniciou no dia 1 de fevereiro de 2011 e será executado durante cinco anos, até ao dia 31 de Janeiro de 2016.

O MOMI é financiado pelo 7º Programa Quadro da União Europeia [FP7/2007-2013; n° 265448].

O projeto visa contribuir para o conhecimento global sobre como os cuidados de pós-parto podem ser organizados de uma forma mais eficaz, tanto a nível das instituições de saúde com da comunidade, de modo a melhorar a saúde materno-infantil.

Objetivos específicos a nível científico e técnico: 

  1. Avaliar a viabilidade da integração dos serviços de saúde reprodutiva e materna nos locais onde se prestam cuidados de saúde à criança e do fortalecimento dos
    serviços pós-parto existentes para as mulheres;
  2. Avaliar a viabilidade do uso de processos participativos, envolvendo os serviços
    locais de saúde e a comunidade, na prestação de cuidados de saúde materna e
    infantil;
  3. Desenhar pacotes de intervenções pós-parto que sejam viáveis​​, apropriados, sustentáveis, eficazes, dissemináveis e adaptados às condições de cada local de estudo, de forma a melhorar a saúde materna e infantil no período pós-parto;
  4. Implementar e avaliar os pacotes de intervenções específicos de cada local, para melhorar a saúde materna e infantil no período pós-parto, através da prestação de cuidados de saúde de base institucional e comunitária;
  5. Avaliar a eficiência de três anos de fortalecimento dos serviços de pós-parto
    identificando os seus determinantes a nível ​​do sistema de saúde, e realizar uma análise transversal a todos os países dos resultados da prestação de cuidados no período pós-parto; e
  6. Envolver os decisores políticos em todo o processo, desde o planeamento das intervenções até à sua implementação e avaliação, de forma a aumentar a sustentabilidade e disseminação das estratégias a nível local e nacional.



Para mais informações em Português sobre o projeto MOMI: sofia.moura@ispup.up.pt